Segunda-Feira, 25 de outubro de 2021

Depressão X Adolescência

Publicado em 30/08/2019. http://jornalterral.com.br/t-REJ

A depressão é certamente o mal mais comum nos dias de hoje. É um gatilho para o infarto. Estudos mostram que uma em cada cinco pessoas apresenta em alguma etapa da vida sintomas depressivos.

A adolescência é considerada o período mais difícil na vida de uma pessoa, por ser um tempo em que ora se é adulto, ora criança. Este desequilíbrio traz para o jovem a angústia da incerteza, gerando altos níveis de ansiedade e propiciando a manifestação do quadro depressivo.

Alguns sintomas precisam deixar os pais em estado de alerta, como problemas com o sono, lentidão mental e física, bulimia e anorexia, aumento ou perda de peso, cansaço extremo ou fadiga, constipação intestinal, irregularidade menstrual, dores generalizadas (Fibromialgia), dores crônicas, gastrite, colite, desconforto cardiológicos e palpitações.

Quando o jovem começa a dormir em posição fetal, pode ser este o momento em que ele está sentindo o desejo de voltar ao útero materno, o desejo de sentir novamente o aconchego dos braços da mãe, de estar em segurança.

Depressão é o peso emocional esmagador de sentir-se sem esperança e incapaz de lidar com a vida.

A grande maioria dos jovens está vivendo como se estivesse no mundo dos heróis e das heroínas. Eles fazem tudo e acham que dão conta de tudo. Isso se chama depressão mascarada: mergulham nos afazeres para fugir do que está acontecendo na alma.

Depressão é uma doença da alma. Uma ira recalcada, um desespero intenso e o medo incontrolável levam a um mergulho no mundo só deles.

É comum confundirmos tristeza com depressão. Depressão começa no cérebro, mas é uma doença da alma. A depressão esta diretamente relacionada com o pensamento, gerando estresse mental.

Pais rígidos e críticos em demasia geram sentimentos dolorosos e difíceis de serem digeridos pelos filhos. As crianças privadas de calor humano têm tendência a serem depressivas, e os pais que rejeitam ou deixam os filhos expostos a maus tratos os levam a ter menos resistência às mazelas da vida.

Com isso, os filhos crescem ser saber perder, vivem no mundo do tudo é possível e “não vai dar nada não” é a resposta quando indagados por atitudes ilícitas.

Alguns fatores podem desencadear a depressão nas crianças, como o mau humor crônico e as palavras negativas. Pais perfeccionistas acham que os pequenos não deram o seu melhor e que quase sempre tem algo que precisa ser melhorado.

Dessa forma, a criança se acha incapaz, começa as coisas e não termina, e a depressão acaba sendo a válvula de escape.

A culpa por não estar conseguindo realizar o desejo dos pais ou dos professores e por estar sendo cobrada em demasia por isso acaba levando à depressão. A criança entra na ciranda do “ninguém me ama, ninguém me quer”, gerando sentimento de culpa.

A paternidade é uma construção. Cada dia se coloca um tijolo a mais, cada dia se coloca uma dose de carinho, de atenção, de cuidado e de amor, porque só o sentir-se amada desviará as crianças, os jovens e os adultos desta terrível doença.

 

Marcia Nicolini – Psicanalista. Tem como público alvo pessoas na melhor idade.

Contato: (27) 99898 9737

 

* As matérias, textos e artigos publicados a partir de terceiros não significam que estejamos de acordo com as posições apresentadas por seus autores ou fontes. Apenas estamos buscando divulgar conteúdos que possam contribuir, de alguma maneira, para prestar um serviço social de ajuda e orientação.
Fundado em 29/11/1990, o Terral possui circulação impressa e estende sua atuação para o ambiente online. Acompanhe-nos por meio das redes sociais e compartilhe as matérias.
EXPEDIENTE

Diretor
Daniel Porto

Jornalista Responsável
Daniel Porto - MTE Nº 3.802/ES

Assessoria Jurídica
Dra. Alciene Maria Rosa

Edição do Impresso
D. Porto Editora - ME

Desenvolvimento
Saulo Porto

Gestor de Conteúdo
Iorran M. Porto - MTE Nº 4.149/ES

CONTATO

Rua João Calmon, 880 Centro, Linhares - ES


(27) 3151 6247 / 99857 9813 contato@jornalterral.com.br



© 2019. Todos os direitos reservados.